JB não é James Bond. Mas tem licença para matar

17/05/2014 5 comentários

JB-LICENÇA-PRA-MATAR_LiliO papel de JB na reta final da novela do Mentirão – que novamente emparelha com campanha eleitoral – é manter-se, e aos que condenou, nas manchetes do PiG até outubro. Mesmo que tome atitudes arbitrárias, desonestas e mostre-se mais vilão do que realmente é. (Pra mim é mais laranja que maquiavélico).

O “rei” do STF sabe de seus deslizes. Sabe também que qualquer processo que desemboque no julgamento de seus atos preescreveria antes de fazer-lhe cócegas. Capaz de eleger-se a qualquer coisa, cumprir mandato, aposentar-se e até morrer, antes disso acontecer. JB está certo de ganhar aquela boquinha na história, prometida em 2008… Por isso trabalha para o PiG com essa fidelidade canina.

O “menino pobre que mudou o STF” foi convencido pela mídia que se tornaria herói, presidente, rei deste feudo chamado Brasil. Ingênuo, comprou a passagem para a glória ao assumir o papel de relator da ação 470 – melhor conhecida como O Mentirão.

A ideia central é criar polêmica. Sempre envolvendo o PT. Suas atitudes visam instigar a ira dos petistas. Seus mandantes sonham com reações emocionais de Dilma, Lula e outros graúdos do PT ao verem seus companheiros sendo torturados. Qualquer coisa serve: trancar seus réus longe de casa, não deixar trabalhar, deixar e depois proibir, botar cardíaco inocente em prisão domiciliar e depois devolver ao presídio…  Leia mais…

Serra, Marina e PiG x Dilma. E o Povo?

27/10/2013 7 comentários

duas-facesO povo olha para o próprio bolso e para a própria mesa de jantar. Vê os filhos na escola, tem carteira de trabalho assinada. Para muitos essa situação era o sonho familiar de gerações.

O Jornal Nacional destoa dessa família. Destoa porque a Globo ainda está tentando ressuscitar o BraZil de FHC, a Petrobrax de Serra e a Alca de Clinton.

O povo quer curtir a vida, a família e… consumir! Eleição? Política? Só no meio do ano que vem. Protestos? Passeatas? Facebook? Mascarados? Por favor, poupem quem está trabalhando duro – 94,6% dos trabalhadores brasileiros – e tem mais do que se ocupar nas poucas horas que lhe restam depois de um dia de trabalho.

Mesmo assim, o povo respondeu sobre Dilma e eleições. Na última pesquisa Globo/Ibope, a direita engoliu o sapo do catastrofismo midiático de sua imprensa. Os números mostraram que o ator principal do enredo de 2014, quase sempre ignorado pela Casa Grande, apóia o atual governo e reconhece que a vida melhorou nos últimos 10 anos. O Sr. Povo brasileiro, não é mais, por assim dizer, tão fácil de “conduzir” como nos áureos tempos de colônia americana.

Apesar do velho charlatanismo jornalístico não colar mais na opinião pública, jornalões e tele-jornais continuam fiéis às elites. Até que a morte os separe. Moribundos, assistem sua franca decadência moral e financeira sem terem como reagir. Sua doença incurável tem vários nomes: Redes Sociais, Blogosfera, Youtube e até Ninja.

Para a Casa Grande, a Internet é uma faca de dois gumes. Empresas se hospedam, vendem, lucram e anunciam na rede mundial. Este é um dos gumes, o financeiro. O outro é a liberdade de expressão, a diversidade e as ferramentas de compartilhamento. Como manter um, eliminar o outro e não perder audiência? Essa é a equação que os atormenta há 10 anos. Leia mais…

Dilma recupera o que não chegou a perder

28/09/2013 7 comentários
Dilma na ONU: "Jamais pode uma soberania firmar-se em detrimento de outra." Imagem: Timothy Clary/AFP

Dilma na ONU: “Jamais pode uma soberania firmar-se em detrimento de outra.” Imagem: Timothy Clary/AFP

Diante dos resultados das últimas pesquisas, Dilma não recuperou o que realmente não chegou a perder. Recuperam a razão, isso sim, aqueles que receberam o bafo das manifestações de junho e embarcaram numa onda que morreu na praia sem trazer nada de bom para a sociedade. Naquele primeiro momento, quando a mídia assumiu o controle do tsunami que derrubaria todos, inclusive o governo federal, as pesquisas surgiram sincronizadas ao JN e às manchetes dos jornalões. A presidenta despencou na avaliação de seu governo e a direita chegou a sonhar que ela nem terminaria o atual mandato.

O povo brasileiro – e quando falo em povo, me refiro a mais de 200 milhões e não a alguns milhares de coxinhas – nunca derrubará um governo que elegeu por ampla maioria, assim, de graça, conduzido por bandeiras fascistóides. Primeiro porque o povo não é politizado. Não se guia por ideologias e nem tem o hábito do debate político. O povo segue seu instinto mais fundamental: a vida melhorou nos últimos 10 anos. E isto é real. Não estamos falando de eletrodomésticos e viagens de avião apenas, mas das perspectivas mais elementares: Hoje, só não tem emprego quem não quer, não precisa ou não pode trabalhar; só não frequenta as salas de aula quem não quer, não precisa ou não pode estudar. Sem falar nas universidades, nas cotas…

No atual cenário, não há ninguém que chegue a ameaçar a reeleição de Dilma. A não ser que surja uma catástrofe diretamente causada ou mal administrada pela presidenta. O que, cá entre nós, depois de seu retumbante discurso na abertura da Assembleia Geral da ONU, é muitíssimo pouco provável que aconteça. Leia mais…

Resumo da ópera 470: submeter-se ou não à Globo?

14/09/2013 5 comentários

mascaras1Na sessão desta última quinta-feira, disse o ministro Barroso que “vota com sua consciência e não se pauta pelo que vai sair no jornal do dia seguinte”. É o resumo da ópera 470 – vulgarmente conhecida como Mensalão do PT: submeter-se ou não à Globo?

A estratégia preparada por Joaquim Barbosa foi a de isolar o derradeiro voto (que desempatará em 6 x 5 para um dos lados) para a próxima sessão, quarta-feira que vem, e assim jogar o ministro Celso de Mello aos leões da mídia durante os próximos 7 dias.

Se resistir à pressão vulcânica que o aguarda nesta semana, na mídia, e acabar por aceitar os tais embargos infringentes – adiando ou apagando para sempre as capas que o PiG sonha imprimir há 8 anos –, Celso de Mello salvará o STF (e, mesmo, a consciência dos outros cinco ministros que tentam executar o PT sumariamente).

Por outro lado, se o ministro dobrar-se à vontade da mídia e consentir que se algeme os petistas em praça pública(da), realizará o sonho de curto prazo de Globo, Folha, Estadão e Veja. Neste caso, ao contrário do que muita gente pensa, a novela estará longe de terminar. Além de transformar o STF na casa da mãe Joana da Globo e abrir precedentes para outros linchamentos nos mesmos moldes da 470 em qualquer tribunal do Brasil, a prisão de Dirceu, Genoino, J. P. Cunha e Delúbio levará o caso à Corte da OEA – que tem o poder de anular o julgamento ou partes dele. Isso significaria mais desmoralização ao STF e seus atores. Não só no Brasil, mas aí sim, perante toda a comunidade jurídica internacional.

Os ministros que votaram pela degola imediata dos réus parecem não se importar em serem achincalhados por quem entende de direito penal. Parece que o que mais aterroriza Barbosa e os demais que votam com ele é a opinião publicada na imprensa. Desde o início do julgamento ficou evidente sua postura político-partidária a serviço de interesses escusos.

Ao PiG só interessa uma coisa: algemar e fotografar. Mais tarde podem anular o julgamento, pouco importa. O estrago já estaria feito: finalmente o PT estaria “em cana”. Leia mais…

Reforma Política Já ou Morte!

13/07/2013 4 comentários

corrupçãoFaltam 15 meses para as próximas eleições para presidente, governadores, senadores e deputados estaduais e federais. 15 meses são tempo mais que suficiente para plebiscito, discussão com toda a sociedade, elaboração, correções, votação e decretação da nova Lei, Emenda, PEC, Decreto, Medida Provisória – seja lá o nome que isso deve ter – que acabe com a farra indecente e corruptiva entre o político e seu patrocinador. Esse é o ponto mais importante da Reforma Política travada há 15 anos no Congresso Nacional. Entra governo, sai governo, e nada.

As vezes, perguntas explicam melhor que respostas: Por que uma determinada empresa “doa” dinheiro para a campanha eleitoral de determinado candidato? Dízimo? Promessa? Parentesco? Simpatia? O que faz um governante decidir quanto, como e a quem vai destinar a verba embutida no cargo a que foi eleito? Depois eu desenho… Leia mais…

Como em 64. Sem por nem tirar.

02/07/2013 22 comentários
Golpe: a gente vê por aqui. Plin Plin!

Golpe: a gente vê por aqui. Plin Plin!

Não é o povo – no sentido mais abrangente da palavra – que está nas ruas. Quem verdadeiramente usa os serviços públicos tem mais o que fazer. Não está nas passeatas. E quem protesta, protesta de barriga cheia. Pobres, negros e trabalhadores das periferias não foram convocados. Porque são invisíveis para a elite. Sujeira social.

Além dos engolidores de manchetes panfletárias que odeiam o PT gratuitamente – no que, aliás, se resume sua “consciência política” -, há a “tropa de elite” mascarada que se infiltrou no movimento do MPL e tomou-lhe as rédeas. São aqueles mercenários que Serra ajuntou em 2010.

Não confio em mascarados. Qualquer fã do MMA, UFC e similares, pode tornar-se um autêntico Anonymous. Basta comprar a máscara, que custa R$ 9,99 no site Mercado livre e sair por aí mordendo bandeira vermelha. Intolerância, fanatismo, preconceito racial/social, homofobia – são sentimentos que contagiam fácil os distraídos de carteirinha.

Sem partido é o mesmo que sem cabeça. 50 mil aqui, 60 mil ali, 80 mil, 100 mil. O anti petismo obteve 44 milhões de votos em 2010. Hoje, algumas dezenas de milhares desses eleitores pegaram carona nas manifestações e foram para as ruas “trabalhar” o golpe.

A Globo convoca os protestos diariamente. Dá data, horário e local. Depois manda cobrir. O repórter escolhe uma família branca, bem vestida, escadinha de filhos básica. Serão os “manifestantes pacíficos que estão nas ruas”. O material coletado por suas câmeras vai para a central de jornalismo golpista. Lá editam a injeção que o JN vai aplicar no telespectador. Tomam o cuidado de separar o trigo do joio – como as faixas anti-Globo e qualquer faixa que fale mal do PSDB. Leia mais…

O problema do transporte público é o transporte individual

18/06/2013 6 comentários

carroO horário nobre da Globo vomita dezenas de comerciais de automóveis em seu telespectador. Ângulos espetaculares mostram carros com design ultra moderno, sedutor, brilhante. Geralmente o motorista tem uma gata ao lado, é tranquilo e bem humorado. Dirige sozinho seu carrão pelas ruas. Sem trânsito, congestionamentos, fumaça, barulho, estresse.

O brasileiro é o cara mais aficionado por carros do mundo. Nunca foi meu caso, mas a maioria das pessoas tem como objetivo na vida:
1º comprar um carro, 2º o restante dos planos. Foram condicionadas a isso. Ter automóvel (principalmente o primeiro da vida) é sinônimo de status. Entre outras vantagens, uma tem que ser destacada: Não é imprescindível, mas facilita na hora de conquistar uma mulher (sem hipocrisia, é fato!).

O problema do transporte público é o transporte individual.

Por que é tão ruim? O ônibus balança muito? Os assentos são sujos, desconfortáveis? Não, não é isso. O transporte público é ruim porque te obriga a ficar dentro de um ônibus superlotado e que não anda. Ora, se não houvesse a ocupação maciça dos automóveis, o transporte público seria eficiente e sobraria mais espaço para ampliação da frota. Independente do valor da passagem, faria seu papel: transportar com rapidez e conforto.

Imagine os comerciais de automóvel. O carro deslisando suavemente pela pista, sem trânsito. Potência, conforto, segurança… Agora mude apenas o veículo da cena. Troque por um ônibus, sem as centenas de carros que o cercam na vida real. É isso que Maurícios, Patrícias e todos nós queremos para o transporte público.  Leia mais…

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 101 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: